Margaret Pelicano

quinta-feira, 6 de março de 2008

VERSO: O GRITO DE LIBERDADE ETERNO




Quando acordo pela madrugada

cheia de versos bonitos bailando na minha frente
a vontade de abandoná-los é fato,
acabo voltando a dormir e os tiro de minha mente;

Eles insistem por serem belos
cavalgando corcel dourado e na garupa, virgens aladas...
às vezes, levanto e me junto aos versejadores da madrugada,
sonolenta, aborrecida... pela manhã...quantos elos!

Quanta vida, histórias de amores,
paixões, sons de violoncelos,
são os mais lindos versos, os madrugadores...

Fazem-nos esquecer horrores, desditas,
viajar por mundos romanos ou celtas,
sonhar com vidas passadas, lembranças benditas!

Brasília - 06//03/2008

Marcadores: ,

escrito por Margaret Pelicano às 11:28

2 Comentários:

Margarete parabéns pelo seu trabalho suas poesia obrigado pela a oportunidade de comunicar com VOCÊ

ASS.RAVEL E LEANDRO AUGUSTO.

14 de maio de 2008 09:00  

Ravel e Leandro, é bom demais ter amigos do coração como vocês! Coisa boa, gente ver os alunos da profª Abadia Rodarte me escrevendo palavras lindas e visitando o meu blog...Fiquem com Deus e voltem sempre, Margaret

16 de maio de 2008 18:36  

Postar um comentário

<< Home

poesias, contos, crônicas, cartas